terça-feira, 3 de janeiro de 2012

Perigo na Igreja

por Pr. Jorge Linhares

Cova profunda é a boca da mulher estranha, aquele contra quem o Senhor se irar, cairá nela.(Provérbios 22-14)

Que o diabo veio para roubar matar e destruir não há dúvidas, ninguém se espanta com tal afirmação bíblica. O que é de se admirar é o fato de, constantemente, nos dias atuais, nos depararmos com escândalos protagonizados por pastores evangélicos. Muitas vezes são homens de projeção, conhecidos regional ou nacionalmente. Mas, não podemos nos esquecer que estamos falando de homens, de carne e osso como qualquer outro, sujeitos a cair em tentação a qualquer momento.
Mas o que os leva a cederem aos desejos da carne? Por que hora cheios do Espírito Santo, com palavras abençoadoras, tornam-se, num piscar de olhos, em verdadeiras decepções para a igreja? Bem, a resposta não vem de estudos aprofundados. A resposta vem simplesmente da Bíblia. Deus ordenou ao homem que não adulterasse. É o mandamento de número sete. (Ex. 20-14).
A arma mais poderosa para guardar a igreja e o pastor é o jejum. Somente o jejum fortalece em momentos de tentação. Podemos comprovar a tentação de Jesus no deserto quando satanás o provocou de várias formas. Nesse momento Jesus era homem, estava na terra, vulnerável como qualquer um. A diferença é que mantinha, constantemente, seu Espírito ligado com Deus. Há 40 dias e 40 noites. (Mt 4: 1 a 11), só assim Ele resistiu. E é isso que devemos buscar dia após dia.
Retomando o assunto inicial, quando um pastor vive um escândalo por adultério, a igreja começa a se debandar. A decepção, muitas vezes é a porta para membros se desviarem da igreja. Afinal, o cabeça, aquele que pregava, que exortava exatamente contra o perigo da carne faz exatamente o contrário, então o que ele está fazendo ali? As pessoas perdem a referência. É como um pastor de ovelhas que deixa o rebanho sem apascentar, os animais ficam espalhados pelo pasto. É exatamente isso que ocorre no meio do povo de Deus. E o pior é que um pensamento toma conta das mentes “se o pastor pode, porque eu também não posso”? E isso é um problema.
Outro fato muito comum de ocorrer quando um pastor adultera é a revolta dos seus filhos. É como jogar uma bomba dentro de um lar. A esposa traída fica irremediavelmente abalada. E não é para menos. Os filhos são tomados de decepção, raiva, mágoa, tristeza e aí, muitas vezes só para afrontar, desviam-se dos caminhos do Senhor. A consequência é grave e pode levar muito tempo até que tudo seja resolvido. Vigiar e orar, esse é o segredo de uma vida feliz!

Conclusão

Esforce-se ao máximo, jejue e ore sem cessar, encha-se do Espírito Santo para não ver em sua vida a ira e o aborrecimento de Deus contra a sua vida.

Nenhum comentário:

Postar um comentário