domingo, 1 de janeiro de 2012

Deus Procura Homens Fravcos

 Temos que deixar Jesus moldar-nos e não resolver as coisas do nosso jeito


1 Na época dos juízes houve fome na terra. Um homem de Belém de Judá, com a mulher e os dois filhos, foi viver por algum tempo nas terras de Moabe.

2 O homem chamava-se Elimeleque, sua mulher Noemi e seus dois filhos Malom e Quiliom. Eram efrateus de Belém de Judá. Chegaram a Moabe, e lá ficaram.

3 Morreu Elimeleque, marido de Noemi, e ela ficou sozinha, com seus dois filhos.

4 Eles se casaram com mulheres moabitas, uma chamada Orfa e a outra Rute. Depois de terem morado lá por quase dez anos,

5 morreram também Malom e Quiliom, e Noemi ficou sozinha, sem os seus dois filhos e sem o seu marido.

6 Quando Noemi soube em Moabe que o SENHOR viera em auxílio do seu povo, dando-lhe alimento, decidiu voltar com suas duas noras para a sua terra.

19 Prosseguiram, pois, as duas até Belém. Ali chegando, todo o povoado ficou alvoroçado por causa delas. “Será que é Noemi?”, perguntavam as mulheres.

20 Mas ela respondeu: “Não me chamem Noemi, melhor que me chamem de Mara, pois o Todopoderoso tornou minha vida muito amarga!

O que extrair de uma vida tão obscura? Sem alegrias ou invenções, vãos olhar para avida desse personagem de uma forma ilustrativa.

Observem significado de cada nome que
aparece no texto:

Elimeleque = O Senhor é Rei
Noemi = Agradável
Malon = Alegria
Quiliom = Plenitude
Belém = Cidade do Pão

Deus enviou uma provação sobre os habitantes de Belém, pois reteve as chuvas e, o lugar que era casa do pão ou casa da fartura, começou a passar pela angustiosa experiência da fome.

Elimeleque era do tipo de pessoa, como nós muitas vezes, que resolve as coisas sempre da sua maneira, ao invés de conclamar o povo a buscar o socorro do Senhor, parte com sua família para a terra de Moabe.
Era um ferro duro de ser moldado. E ali na terra de Moabe morrem Elimeleque e seus dois filhos.

E Noemi troca o seu nome para Mara (AMARGA).
Temos aqui uma família vivendo uma vida amarga, sem a plenitude e a alegria do Senhor, por não estar no centro da boa, perfeita e agradável vontade de Deus, devido a um homem duro demais, atirado na pilha dos inúteis.

Será que hoje podemos encontrar pessoas vivendo vidas amargas?

O que as provações têm produzido em nós?

Quebrantamento ou endurecimento?

Não podemos esquecer que o mesmo sol que derrete o gelo endurece o barro!
Se, diante das provações que o senhor tem permitido em nossa vida, temos
endurecido nossos corações e ficamos cheios de amarguras, hoje é dia de santificação, é dia de arrependimento.

Não sejamos ferros duros, derramemos diante de Jesus, que por amor morreu por nós todas as nossas ansiedades e provações, para que sejamos moldados por Ele.

Nenhum comentário:

Postar um comentário