sexta-feira, 11 de janeiro de 2013

Devocional 11 de Janeiro de 2013 "Meu Niver"


"Pedis e não recebeis, porque pedis mal, para esbanjardes em vossos prazeres." Tiago 4:3

Pensamento: A estratégia do inimigo para nos enganar é fazer com que duvidamos da fidelidade de Deus em responder nossas orações; sendo assim, acabamos ficando incrédulos, ou seja, tendo pensamentos negativos que irão se inflamar em nós, por isso, nossas orações não são respondidas quando: Quando nossas orações não estão de acordo com a vontade de Deus: “Se pedirmos alguma coisa segundo a sua vontade, ele nos ouve” I João 5:14
- Quando temos como meta apenas O realizar: “Se eu no coração contemplara a vaidade, o Senhor não me teria ouvido” Salmos 66:18
- Quando não mostramos zelo em ajudar Deus na resposta: Esperamos que nossas orações façam com que Deus trabalhe nós. “Vos ordenamos isto: se alguém não quer trabalhar, também não coma” II Tessalonicenses 3:10
- Quando temos um ressentimento alojado no coração: “Perdoa-nos como perdoamos aos outros” Mateus 6:14
- Quando não esperamos muito de nossas orações: Quando questionamos o poder da oração, duvidamos de sua eficaz, e Deus não age na dúvida, ele não responde oração sem fé, pois, nossa falta de paciência é uma prova legível de que, não esperamos muito de nossa oração.
- Quando nós mesmos tentamos dizer como Deus deveria responder: A única pessoa para qual ditamos leis é aquela em quem não confiamos. “Ele simplesmente deseja que deixemos nossos pedidos alojados em seus poderosos braços”. Enfim, desista de pensar: “A resposta vai demorar tanto, que se vier nem vou aproveitar...”
Confie em Deus, pois ele irá responder no tempo mais oportuno, pode ter certeza de que quando a resposta vier, virá na forma e na hora em que será mais apreciada. Se não vale a pena esperar por aquilo que você orou, então não vale a pena pedir !!! (Elaine que Deus continue lhe usando para nos abençoar... em nome de Jesus... amém).

Oração: Senhor meu Deus, quero reconhecer que tenho sido incrédulo, que tenho duvidado do teu poder e até mesmo desistido de minhas petições; perdoe-me e me ensine a pedir, me ensina a agir e aguardar em Ti, assim como tu me ensinaste desde o inicio, pois em quanto eu espero quero louvá-lo pela minha benção já recebida, em nome de Jesus amém.

quarta-feira, 9 de janeiro de 2013

Devocional 09 de Janeiro de 2013


"Confessai, pois, os vossos pecados uns aos outros e orai uns pelos outros, para serdes curados. Muito pode, por sua eficácia, a súplica do justo." Tiago 5:16

Pensamento: Às vezes estamos distantes do Senhor e até queremos nos aproximar outra vez, mas não encontramos forças !!! Sentimentos de vazio e tristeza tomam conta de nós !!! Quem sabe também um sentimento de culpa porque entendemos que estamos andando fora dos caminhos do Senhor. Nossa alma está doente e não sabemos onde encontrar a cura. Mas Tiago nos ensina que ao confessarmos nossos pecados, somos curados. Este é um mistério que pertence a Deus, mas podemos entender que isso acontece porque trazemos à luz àquilo que está em oculto. Em outras palavras, ao confessarmos, estamos manifestando a Deus o nosso desejo de abandonar o pecado, e reconhecendo que somente Ele é capaz de nos perdoar e curar.

Oração: Senhor Deus, prepara um momento certo, uma pessoa certa, que seja comprometida com a verdade, que faça a obra do Senhor com compromisso, para que eu possa confessar minha angustia e minhas necessidades. Prepara alguém que saiba ouvir, aconselhar e guardar segredos, pois eu preciso receber a cura do Senhor, preciso encontrar descanso para o meu coração, preciso do Seu Santo Espírito sobre mim, para que eu possa continuar te servindo e adorando cada dia mais. Em nome de Jesus. Amém.

segunda-feira, 7 de janeiro de 2013

Devocional 07 de Janeiro de 2013


"Bem-aventurados os humildes de espírito, porque deles é o reino dos céus." Mateus 5:3

Pensamento: O humilde de espírito sabe que ele depende totalmente de Deus, e que não precisa fazer nada para se exaltar diante do Senhor, ele aceita sua limitação e entende que precisa de Deus para perdoar suas falhas. O humilde também não precisa ser reconhecido diante das pessoas, por isso ele não tenta ser melhor do que ninguém, por isso ele consegue se relacionar melhor, quem gosta de ficar ao lado de um arrogante, não é verdade ??? Bem-aventurado significa ser mais do que feliz, Jesus ensinou estas coisas para encontrarmos a felicidade e o descanso para nossas almas.

Oração: Pai querido, quero ser humilde de espírito para poder me relacionar bem com o Senhor, para poder me relacionar melhor com as pessoas ao meu redor. Quero entender que eu não preciso fazer nada para me exaltar diante do Senhor e para ser reconhecido pelas pessoas. Quero rejeitar toda ansiedade e todo stress, e aprender com Jesus que é manso e humilde de coração. Eu oro em nome de Jesus. Amém.

sexta-feira, 4 de janeiro de 2013

Devocional 04/01/2013

"Logo, já não sou eu quem vive, mas Cristo vive em mim. E esse viver que, agora, tenho na carne, vivo pela fé no Filho de Deus, que me amou e a si mesmo se entregou por mim." Gálatas 2:20


Pensamento: Quando fomos batizados em Cristo, compartilhamos a Sua crucificação !!! Abandonamos as coisas do passado e nascemos para uma nova vida !!! Somos outra pessoa agora, Cristo vive em nós !!! O verdadeiro desafio é fazer cumprir esta verdade em nossa vida, somos testemunhas do Senhor e precisamos praticar as Suas obras !!! A salvação já nos foi dada pela graça, portanto nossa motivação agora é honrar, aquele que a si mesmo se entregou, e morreu em nosso lugar para nos salvar.

Oração: Obrigado, Deus, por me amar e por ter enviado Jesus para me redimir dos meus pecados. Ajuda-me a viver pela fé no Seu filho, que deu a Sua própria vida para que eu pudesse passar a eternidade com o Senhor. Peço que, pelo Seu Espírito, ajude-me para que a vida de Jesus seja vista em mim. Eu oro em nome de Jesus. Amém.

segunda-feira, 26 de novembro de 2012

Ofertando Lábios Impuros

Isaías 6:7 - E com a brasa tocou a minha boca, e disse: Eis que isto tocou os teus lábios; e a tua iniqüidade foi tirada, e expiado o teu pecado. 

Quando Isaías, dentro de Templo, percebe a intensidade da sua imperfeição espiritual, ele clama pela misericórdia divina. Como resposta, um dos serafins pega uma brasa viva do altar e a põe em contato com os lábios do jovem. "Com ele tocou a minha boca e disse: Veja, isto tocou os seus lábios; por isso, a sua culpa será removida e o seu pecado será perdoado." (Isaías 6:7).

A presença do Senhor inundou absolutamente o ambiente do Templo. Isaías comparou o impacto daquela glória com a sua envergonhante conduta pecaminosa. A única exclamação honesta, diante do contraste, foi seu "Ai de mim, que tenho lábios tão impuros".

A honestidade de Isaías deve ser o modelo da nossa própria honestidade. Dante do tamanho do amor dadivoso do Senhor, que é que temos para Lhe oferecer? De puro e santo, não temos nada! Como ficamos, então? Sairemos do templo de cabeça baixa, coração pesado e fugirmos da 'presença" do Senhor? Qual é a resposta que Ele espera de mim? Ele não me pede aquilo que eu não possuo. O que Ele espera de mim é a entrega sincera, honesta, do meu pecado. Se eu recuar a "brasa viva nos meu lábios", eu nunca serei profeta do Senhor, testemunhando por todo o mundo. Nunca será fácil entregar nossa impureza para o Senhor. Mas é esta a oferta que Ele espera de nós.

domingo, 3 de junho de 2012

Perfil de um homem de Deus


1. Chamada  Ninguém pode se apresentar onde quer que seja como homem de Deus a não ser que tenha sido chamado. E quem chama é o próprio Deus: “Rogai, pois ao Senhor da seara que mande trabalhadores para a sua seara” (Mateus 9.38). Foi assim com Abraão: “Sai-te da tua terra, da tua parentela, e da casa de teu pai, para a terra que eu te mostrarei” (Gênesis 12.1); foi assim com Moisés: ”Agora, pois, vem e eu te enviarei a Faraó, para que tires do Egito o meu povo, os filhos de Israel” (Êxodo 3.10); foi assim com Paulo: “mas levanta-te e entra na cidade, e lá te será dito o que te cumpre fazer” (Atos 9.6). O homem de Deus tem uma inequívoca chamada de Deus: ”Samuel! Samuel! Ao que respondeu Samuel: Fala, porque o teu servo ouve” (1Samuel 3.10). Você se lembra do dia em que Deus o chamou?
2. Preparo — Quando Deus chama alguém para uma tarefa específica na sua seara, Ele mesmo provê o preparo necessário. Às vezes, antes da própria chamada, como ocorreu com Moisés (na casa de Faraó), com Paulo (aos pés de Gamaliel). O homem de Deus precisa de preparo, e na vida de Samuel percebemos esse traço bem delineado: “Samuel, porém, ministrava perante o Senhor, sendo ainda menino...” (1Samuel 2.18); “Entrementes, o menino Samuel crescia diante do Senhor, como também diante dos homens” (1Samuel 2.26). É interessante notar que Lucas, ao descrever o crescimento de Jesus, praticamente copia este último verso (cf. Lucas 2.52). O preparo de Samuel foi integral: compreendeu teoria e prática. E o seu preparo, como tem sido?
3. Trabalho — Este traço na vida de Samuel extrapola o seu tempo: “Samuel julgou a Israel todos os dias da sua vida. De ano em ano rodeava por Betel, Gilbal e Mizpá, julgando a Israel em todos esses lugares. Depois voltava a Ramá, onde estava a sua casa, e ali julgava a Israel; e edificou ali um altar ao Senhor” (1Samuel 7.15-17). Nestes tempos de ativismo é bom prestar atenção a essas palavras. O texto deixa claro que Samuel, embora trabalhasse todos os dias, era um homem organizado. Seu trabalho submetia-se a um planejamento anual. Será que temos conseguido planejar nosso trabalho pelo menos pra uma semana? O homem de Deus precisa ser devotado ao trabalho: “Importa que façamos as obras daquele que me enviou, enquanto é dia; vem a noite, quando ninguém pode trabalhar” (Josué 9.4).
4. Fé — O quarto traço que pretendo avivar neste perfil do homem de Deus é a fé. Sem fé a chamada perde todo o seu sentido; sem fé, o preparo é incompleto; sem fé, o trabalho é infrutífero: “Ora, sem fé é impossível agradar a Deus” (Hebreus 11.6). O homem de Deus precisar ser, necessariamente, um homem de fé. Samuel o foi. A casa de Israel estava afastada de Deus e entregue a toda a sorte de idolatria. Os filisteus eram ameaça iminente. Diante dessa situação caótica Samuel reúne o povo para dizer que a esperança está em Deus. Começa com uma condição: “Se de todo o vosso coração voltais para o Senhor” e conclui com uma promessa: “ele vos livrará da mão dos filisteus” (1Samuel 7.3). O povo aceitou o desafio, voltou-se para Deus, confessando seu pecado e livrando-se dos ídolos. O inimigo veio com toda a sua fúria, enquanto o povo mais se aproximava de Samuel: “Não cesses de clamar ao Senhor nosso Deus por nós para que nos livre da mão dos filisteus (1Samuel 7.9). Indiferente ao ataque do inimigo, Samuel ofereceu um cordeiro em holocausto, clamou ao Senhor, e o Senhor honrou a sua fé: “Enquanto Samuel oferecia o holocausto, os filisteus chegavam para pelejar contra Israel; mas o Senhor trovejou naquele dia com grande estrondo sobre os filisteus, e os aterrou; de modo que foram derrotados diante dos filhos de Israel” (1Samuel 7.10). O homem de Deus precisa não somente de fé; é necessário que ele viva a sua fé, diante do povo.
5. Transparência — Mais do que em qualquer outra época o ministério precisa de transparência. Vivemos numa época de golpes, de falcatruas; estamos no tempo em que a lei é levar vantagem em tudo. Nunca a figura do pastor foi tão aviltada, até porque está muito difícil estabelecer a diferença que existe entre pastor e pastor. Na vida de Samuel o texto fala por si só: “Eis-me aqui! Testificai contra mim perante o Senhor, e perante o seu ungido. De quem tomei o boi? ou de quem tomei o jumento? ou a quem defraudei? ou a quem tenho oprimido? ou da mão de Deus tenho recebido suborno para encobrir com ele os meus olhos? E eu vo-lo restituirei. Responderam eles: Em nada nos defraudaste, nem nos oprimiste, nem tomaste coisa alguma da mão de ninguém. Ele lhes disse: O senhor é testemunha contra vós, e o seu ungido é hoje testemunha de que nada tendes achado na minha mão. Ao que respondeu o povo: Ele é testemunha” (1Samuel 12.3-5). A vida do homem de Deus deve ser marcada pela transparência: ampla; geral; irrestrita.
6. Amor — Na composição do perfil de um homem de Deus, sem dúvida, o amor é um traço de todo indispensável. Aliás, o traço do amor, de tão importante que é, não sobressai, justamente porque, estando presente em todos os demais, confunde-se com eles. A vida de um homem de Deus é uma vida de amor. Assim é que, na vida de Samuel, não vou destacar um momento caracterizado pelo amor. A sua vida inteira foi uma vida permeada pelo amor. “Samuel julgou a Israel todos os dias da sua vida” (1Samuel 7.15). Se você quer ser um verdadeiro homem de Deus, comece por amar o povo.
7. Humildade — Para completar este perfil em que estamos trabalhando, vamos pinçar o sétimo e último traço, característico da vida de Samuel —  a humildade. Se o homem aceita o desafio da chamada, adquire opreparo necessário e se dedica ao trabalho com transparência e amor, com certeza Deus vai atuar grandemente em seu ministério, e é aí que ele vai ter que demonstrar toda a sua humildade. Embora seja tentado, a cada momento, a achar que é ele quem está realizando uma grande obra, não pode perder de vista o fato de que é Deus quem realiza, através da sua instrumentalidade. Se porventura há honra, glória, louvor, tudo deve ser dirigido única e exclusivamente a Deus. A postura do homem de Deus é aquela recomendada pelo Mestre: “Assim também vós, quando fizerdes tudo o que vos for mandado, dizei: Somo servos inúteis; fizemos somente o que devíamos fazer” (Lucas 17.10). Foi a atitude de Samuel. Embora a sua atuação tenha sido decisiva na derrota dos filisteus, ele fez questão de deixar bem claro para o povo que todo o mérito pertencia ao Senhor. “Então Samuel tomou uma pedra, e a pôs entre Mizpá e Sem, e lhe chamou Ebenézer; e disse: “Até aqui nos ajudou o Senhor” (1Samuel 7.12).

Você é um homem de Deus? Como está hoje o seu perfil? A minha oração neste seu dia é que o povo tenha condição de dizer a seu respeito:
“Eis que há nesta cidade um homem de Deus, e ele é muito considerado; tudo quanto diz, sucede infalivelmente. Vamos, pois, até lá; porventura nos mostrará o caminho que devemos seguir” (1Samuel 9.6).