quinta-feira, 14 de julho de 2011

Prosperidade?

I Timóteo 6: 9/11 - "Mas os que querem ser ricos caem em tentação, e em laço, e em muitas concupiscências loucas e nocivas, que submergem os homens na perdição e ruína..."
"...Porque o amor ao dinheiro é a raiz de toda a espécie de males; e nessa cobiça alguns se desviaram da fé, e se traspassaram a si mesmos com muitas dores. Mas tu, ó homem de Deus, foge destas coisas, e segue a justiça, a piedade, a fé, o amor, a paciência, a mansidão".
Sei que Deus quer lhe abençoar ricamente, todos os dias! Meu desejo é de Paz para a sua vida, trabalho e família.
Quando me deparei com o texto colocado acima, no inicio desta semana, refletindo, pensei que esse assunto não é novo. Já era preocupação antiga! Assim dizendo, refiro-me aos dois lados da moeda: o lado dos que queriam riquezas a qualquer custo e o lado dos que aconselhavam a ter cuidado com os métodos utilizados para se obter essas riquezas. E hoje, vemos as mesmas preocupações. É tão importante isso que se levantam até bispos, apóstolos e profetas para falar desse assunto. Uns dizem que somos filhos do rei, outros que não somos cauda, etc. São muitas as referências usadas para embasar tais posições, mas se verificarmos bem, diante da Palavra, todos os argumentos são conseqüência de interpretações errôneas, ou mal intencionadas de passagens bíblicas, dirigidas a situações completamente diferentes e em contextos, também, diferentes.
Quando examinamos a Palavra, vemos que a prosperidade não significa necessariamente a posse de muitos bens, mas ter o suficiente para viver e vestir. Isto é promessa de Deus! Se pensarmos em prosperidade, tendo como referência bíblica a vida de Abraão, Davi, ou Salomão, teremos a ilusão de que as bênçãos que eles tiveram eram as posses, quando na verdade a benção deles era a presença de Deus em suas vidas, pela dedicação ao Senhor. 
Um homem próspero é aquele que, em primeiro lugar, professa sua fé e confiança no Senhor e o busca em primeiro lugar. As demais coisas são acrescentadas, pela misericórdia de Deus e, principalmente, pela benção em seu trabalho, em sua vida. Deus não abençoa quem não está com Ele ou quem não busca por seu sustento. Não adianta esperar que seu maná caia do céu só porque no deserto aconteceu isso com o povo de Israel. A situação é outra.
Então podemos pensar nas orientações acima, do texto, onde a ganância desenfreada leva a consequências enganosas e desastradas na vida de muitas pessoas, que deixam a prudência de lado. Muitas vezes, deixando os escrúpulos, fazem coisas desleais e impróprias, diante de Deus e dos homens, como roubar, levar vantagem anormal, injustiças, etc. Claro, não é proibido possuir riquezas e muitos são abençoados em seu trabalho e conseguem isso, mas não devemos nos esquecer das advertências da Palavra: "Porque o amor ao dinheiro é a raiz de toda a espécie de males; e nessa cobiça alguns se desviaram da fé, e se traspassaram a si mesmos com muitas dores. Mas tu, ó homem de Deus, foge destas coisas, e segue a justiça, a piedade, a fé, o amor, a paciência, a mansidão".
Não se fie muito em discursos inflamados, que te orientem erradamente a buscar prosperidade através de métodos que não sejam decorrentes de trabalho (abençoado sim) e muita dedicação. A prosperidade não virá como conseqüência de investimento financeiro em Deus, pois Ele não é banco, não virá também com sacrifícios pessoais que não sejam para o trabalho. Quando contribuímos financeiramente com a obra de Deus, fazemos por liberalidade, por amor às pessoas que necessitam conhecer a Palavra que já conhecemos. A nossa recompensa é a salvação dessas pessoas.
Tomara que pensemos assim, da próxima vez que formos ao altar de nossa congregação levar nossa contribuição ou dizimo. 
Você é próspero pelo conhecimento do Senhor, sua vida é abençoada porque pertence à casa de um pai maravilhoso, nosso Senhor.

Nenhum comentário:

Postar um comentário